Inicio este texto falando sobre um termo que não é tão conhecido: Pré-Natal Psicológico. Se formos dividí-lo em partes, fica fácil compreender que é algo voltado para gestantes e tem a ver com a saúde mental, certo? Vou explicar um pouco melhor sobre o que é o Pré-Natal Psicológico.

O momento da gestação não é igual para todas as mulheres e nem para todas famílias envolvidas. Muitos fatores se misturam nesse processo. Se pensarmos numa gravidez planejada e numa gravidez muito esperada (no sentido da gestante já estar tentando ficar grávida há um tempo) já temos uma grande diferença em relação a algumas das emoções que as gestantes podem sentir.

Se pensarmos em fatores em comum, poderíamos falar talvez das mudanças ocorridas com a gestação, como as que ocorrem em relação ao humor, a montanha-russa de emoções pelas quais as gestantes passam.

Os estudiosos que falam sobre o Pré-Natal Psicológico apontam que ele consiste numa nova abordagem de atendimento perinatal, muito mais humanizado e voltado para a reflexão de questões que podem vir a surgir neste período.

O Pré-Natal Psicológico pode acontecer em pequenos grupos compostos pela gestante e pelo pai do bebê. A presença do pai no processo, bem como de outros membros da família como os avós auxilia para que estes contribuam com a gestante, oferecendo apoio, acolhimento as emoções e não críticas neste momento delicado. Os encontros colaboram com a percepção de pontos em comum vivenciados não apenas pela gestante mas também pela figura paterna.

Outra possibilidade no Pré-Natal Psicológico é o atendimento individual. Neste tanto a gestante quanto sua família são convidados a participar de algumas partes deste processo, não tendo apenas a participação de outros casais.

É importante ressaltar que o Pré-Natal Psicológico se mostra importante e eficiente como uma ferramenta complementar ao Pré-Natal ginecológico, não substituindo este.

Consiste num espaço de fala, sem julgamento por parte da psicóloga. Num local de acolhimento, onde podem ser colocadas algumas questões que não seriam ditas tão facilmente em qualquer lugar. E abro um grande parênteses aqui para falar no quanto acredito na fala como algo libertador e capaz de resignificar o que vivido.

Se você tiver alguma dúvida sobre este tema, deixe seu comentário aqui.

Referências bibliográficas
ALMEIDA, Natália Maria de Castro; ARRAIS, Alessandra da Rocha. O Pré-Natal Psicológico como Programa de Prevenção à Depressão Pós-Parto. Psicol. cienc. prof., Brasília , v. 36, n. 4, p. 847-863, Dec. 2016 . Available from http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932016000400847&lng=en&nrm=iso. access on 27 Apr. 2020. https://doi.org/10.1590/1982-3703001382014.

CABRAL, D. S. R.; MARTINS, M. H. F.; ARRAIS, A. R. Grupo de pré-natal psicológico: avaliação de programa de intervenção junto a gestantes. Encontro: Revista de Psicologia, Valinhos, v. 15, n. 22, p. 53-76, 2012.

Grande abraço.

Grazielle dos Santos Barbosa de Jesus

Psicóloga CRP 05/46825

E-mail: psi.graziellejesus@gmail.com