Meios ou desculpas?

Certa vez, deparei-me com um trabalhador que fazia placas para anúncios em uma banca improvisada, no meio de um calçadão. Chamou-me a atenção o fato dele ter grande habilidade não apenas para escrita como também para atrair pessoas que, minimamente, chegavam em sua banca para ver qual era o serviço que ele oferecia.

Permaneci observando aquele rapaz por alguns instantes e, quando continuei o meu caminhar, fiquei impressionada ao ver que todos os vendedores que estavam ao longo do meu trajeto possuíam, no mínimo, uma de suas placas.

Pensei no quanto ele percebeu naquele local uma oportunidade de ganhar dinheiro com algo que fazia bem e também nos argumentos usados para atrair pessoas para comprar o que estava vendendo (se é que ele precisou falar, pois nem sempre é preciso anunciar para vender, não é mesmo?).

E isso me remeteu, também, a um texto que li há tempos atrás,  intitulado  “Um meio ou uma desculpa”,, de Roberto Shinyashiki, que fala da forma como vamos levando nossa vida ou fazemos nossas escolhas ao longo das situações que se apresentam.

Se você, caro leitor ou cara leitora, pensar sobre sua vida e sobre as escolhas que tem feito, poderia dizer que, geralmente, busca meios ou desculpas para concretizar o que deseja, sonha, quer?

Esperança e otimismo são necessários para a vida, com certeza; entretanto, a ação pessoal possibilita que as mudanças, de fato, aconteçam. E a postura que se toma acerca do viver também trazem consequências. Se você age passivamente diante das situações que vivencia, possivelmente tenderá a esperar a ação de outras pessoas para que sua situação se modifique.

Sendo assim, agir em prol do que se quer é essencial para que você protagonize sua própria história. E aqui abro um parêntesis (não há como saber o que o futuro trará ou se será possível conquistar ou viver tudo o que se espera. Mas, não fazer nada em prol do que se deseja não modificará sua vida nem te fará alcançar ou se aproximar dos seus objetivos).

Deixo um abraço.

Fique à vontade para comentar esse texto.

grazi

Grazielle dos Santos Barbosa de Jesus

Psicóloga Cognitivo Comportamental – CRP 05/46825
Psicóloga, Professora, Apaixonada pela vida e pelas práticas que possibilitem a qualidade no viver.

E-mail: psi.graziellejesus@gmail.com

 

 

 

ansiedade Autoconhecimento Orientação Profissional Sobre Viver Terapia Cognitivo Comportamental

soviver Visualizar tudo →

Lidia de Jesus (Arteterapeuta) e Grazielle Jesus (Psicóloga). Empenhadas em falar (e ouvir) sobre o VIVER e contribuir para a construção de novas ações que possibilitem melhorias na qualidade de vida das pessoas.

6 comentários Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: